Autenticação

Home

100% Enfermeiro 100% Militar

O documento que agora divulgamos destina-se a providenciar contributos para a definição da Enfermagem Militar, bem como ajudar a definir as competências acrescidas do enfermeiro militar, necessárias para o cumprimento da sua função em condições ideais.
Este trabalho foi desenvolvido em 2014, por elementos pertencentes à Associação Portuguesa de Enfermagem Militar, tendo em vista a regulação da profissão nesta área específica.

Independentemente do nosso modelo de organização de saúde, a Saúde Militar existe, e tem uma história e especificidade própria às necessidades das missões e contextos de atuação militar. Definido o conceito estratégico de Defesa Nacional e o sistema de forças dele decorrente, o sistema de saúde militar responde à operacionalidade das missões atribuídas às Forças Armadas (FA's).

Este sistema, de enorme abrangência e diversidade, assegura além da vigilância e aptidão de saúde nas unidades funcionais das FA's, o apoio sanitário em cenários de guerra, missões internacionais e humanitárias, bem como o acompanhamento dos militares no ativo, na reserva e reforma e ainda os familiares beneficiários do subsistema Assistência na Doença aos Militares (ADM). Acresce a esta caracterização a articulação com o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e a participação no Sistema Integrado de Emergência e Proteção Civil.

A existência de um sistema de saúde militar envolve o planeamento dos respetivos meios, tanto materiais como humanos, por forma a permitir o pleno desenvolvimento das suas atribuições segundo uma doutrina consensual e generalizada das componentes operacional, hospitalar e ocupacional.

A Enfermagem integra este sistema, em todas as suas componentes, revelando um carácter técnico-profissional pleno de sentido perante a especificidade que o contexto em que exerce exige. Devido à sua condição de militar, os enfermeiros militares, devem estar habilitados a prestar cuidados em qualquer tipo de área no contexto militar, podendo desempenhar funções, nomeadamente num hospital, numa unidade militar, a bordo de um navio, submarino, aeronave ou num qualquer país a milhares de quilómetros do território nacional.

A definição de competências específicas do enfermeiro militar não é uma tarefa fácil. Ao contrário de outras situações em que se definem competências específicas para um determinado contexto ou âmbito de ação, por exemplo, numa determinada área específica de enfermagem (associada a uma área clínica) ou ciclo de vida do utente, na enfermagem militar tal é impossível de delimitar. Em enfermagem militar enquadram-se os cuidados de enfermagem prestados por militares devidamente credenciados, ao serviço das Forças Armadas Portuguesas (Marinha, Exército e Força Aérea) ou forças de segurança militarizadas (Guarda Nacional Republicana).

A prática de enfermagem, em geral, exerce-senos mais variados cenários, em contexto de guerra, de paz, de crise ou de catástrofe. Por norma, um enfermeiro civil exerce a sua atividade numa instituição, pública ou privada, num contexto específico, ligado a uma determinada área de cuidados. Pode optar por cuidados primários, hospitalares (secundários) ou continuados (terciários).

A enfermagem militar diferencia-se da enfermagem civil pelo contexto em que a atuação do enfermeiro é exercida. O enfermeiro militar, para além de sujeito a todas as determinações inerentes à sua função de enfermeiro, encontra-se também sujeito à sua dupla condição de militar. A conjugação destas duas realidades pode, mais frequentemente, originar questões de ordem ética no desempenho profissional.
Esta exigência origina a necessidade de competências e qualificações, com formação, treino e adestramento contínuo de aptidões e capacidades transversais às três áreas de prestação de cuidados de enfermagem militar que procuramos definir: operacional, hospitalar e ocupacional.

 

Assembleia Geral Eleitoral Extraordinária da APEM 1 de Outubro 2016

CONVOCATÓRIA

Assembleia Geral Eleitoral Extraordinária da APEM

 

Na sequência da deliberação da Direção de demissão em bloco, que me foi apresentada, convoco a Assembleia Geral Eleitoral Extraordinária da APEM, a realizar no dia 1 de Outubro 2016, com ínicio às 15:00h, na Escola Oficina nº1, sita no Largo da Graça nº 58 em Lisboa, com a seguinte ordem de trabalhos:

Ponto Único;

- Eleição dos órgãos sociais da Associação.

 

Todos orgãos sociais da APEM ficam  em funções até à nova assembleia eleitoral, assegurando o funcionamento da associação, os assuntos urgentes e garantindo as condições de realização da Assembleia Eleitoral.

 

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Nuno Teles Carvalho

Anexos:
Fazer download deste ficheiro (Convocatoria_APEM_01_Out_2016.pdf)Convocatoria_APEM[Convocatoria APEM 01 de Out_2016]

BOAS FESTAS

UM SANTO NATAL E UM ANO NOVO CHEIO DE SUCESSOS

 

Natal2015Feliz Natal e um Próspero Ano Novo 2016.
É com renovadas esperanças que iniciamos mais um período de Festas Natalícias, sempre com uma grande azáfama para que tudo esteja a postos na Consoada que se deseja com muita saúde e em família.


“Saltam para a ribalta”, as famosas filhós, azevias, bolo-rei, bolo rainha, troncos de Natal, lampreias de ovos, sonhos…..Etc.
Sonhos, que também nos transportam para momentos únicos que vivenciamos nestes dias, muitas vezes voltando a ser um pouco as crianças que já fomos e ainda somos, tal como diz o poeta.

No campo profissional, devem ser de alegria e expectativa positiva os dias que se aproximam, com a nova fase de  formação que nos fará transitar para a nossa nova carreira. Sabemos que nem todos os camaradas estão plenamente satisfeitos, mas quando há mudanças é perfeitamente natural que assim seja, importante é que a Enfermagem Militar jamais será a mesma.

Os horizontes para a Saúde militar alargaram-se substancialmente e as oportunidades de progressão profissional para nós Enfermeiros passaram de “um rio de águas estagnadas” a “um renovado oceano de águas vivas”.


A APEM, apresenta-se como sempre, confiante no futuro e de outra forma não poderia ser a sua postura, porque só assim se conseguem atingir  objetivos e transformar  sonhos em realidade.


Porque queremos continuar na defesa firme da valorização da Enfermagem Militar, queremos também nesta quadra festiva deixar mais uma vez, uma palavra de incentivo e apelo à união de todos os Enfermeiros militares; O futuro assim o exige e temos de nos preparar!


Apelamos também à mobilização de todos, para que participem ativamente no novo período que se aproxima, da vida da nossa Associação, com o processo eleitoral que deverá decorrer já no início de 2016. Queremos aqui  deixar um forte desafio aos camaradas mais jovens no sentido de, nos darem a conhecer, apresentando, as suas propostas  para o futuro comum da nossa profissão.

É de vital importância que todos participemos e façamos da não abstenção um ponto de honra e orgulho, que nos deve distinguir. A APEM deve apresentar-se a cada momento, renovada e sempre atenta à atualidade no domínio da mais variada áreas.


Mas agora, aproveitem as Festas, para desfrutar das vossas famílias e de um Santo Natal e um Grande e Próspero Ano de 2016.

São os votos de toda a Equipa dos Corpos Sociais da APEM.
José Bizarro
Presidente da APEM

Aquela Chama

Aquela Chama!


Brinde APEM

 

Depois de na passada 6ª feira, termos realizado o primeiro convívio da história, entre Enfermeiros e Técnicos de diagnóstico e Terapêutica dos três Ramos das Forças Armadas e da GNR, que decorreu em ambiente muito salutar, impunha-se que finalmente eu escrevesse o que me “vai na alma”.


Felizmente estiveram presentes neste convívio, grandes amigos, grandes profissionais de saúde que constituem maioritáriamente “a velha guarda”, sem eles nada do que já alcançámos teria sido possível. Grande escola a nossa Escola do Serviço de Saúde Militar, que tão fortes valores nos transmitiu a todos; a união sempre fez a força e mais uma vez mostrámos a nossa, aquela que sempre cultivámos entre nós, com muita determinação.


Por outro lado, foi triste constatar a notada ausência dos camaradas mais novos, mais uma vez não aderiram a coisa nenhuma. Não sei qual terá sido o motivo e também tenho dúvidas sobre o seu conceito de união, força e interesses comuns. Na minha opinião, é preocupante o rumo do futuro da Enfermagem Militar, quando as pessoas se abstêm desta forma, ao serem chamadas a conviver e mostrar a sua força pela união. É a nossa identidade afirmativa que está em jogo, é aquilo que defendemos, são as nossas relações profissionais, as nossas competências, são os nossos valores, a chama que nos deve unir.


Desculpem-me mas já são muitas inquietações, que receio, sejam de difícil resposta. E, só mais uma questão:

Será que há algum Enfermeiro que não tivesse gostado de ver a nossa Licenciatura em Enfermagem, reconhecida?  
Eu sei que é complicada a vida hoje em dia, até porque as solicitações quotidianas são enormes e muitas vezes o dia deveria ter 48 horas, também me acontece sentir frequentemente esta necessidade.
É preciso ir ao ginásio, às compras, estar em casa, ajudar nas tarefas caseiras, ajudar no cuidar dos filhos, estar com a família, estar com os amigos, passear, estudar, ler, etc,etc, etc, até mesmo trabalhar, aliás como sempre foi necessário.


Não direi que os que não estiveram presentes no nosso convívio, não tinham muito que fazer nem que inventaram desculpas para justificarem a sua ausência, antes, poderiam ter feito um pequeno esforço solidário para estarmos juntos num importante momento da vida da nossa Associação e do nosso futuro comum. Até porque o mesmo foi planeado com cerca de um mês de antecedência e marcado para o dia 27 de Novembro, por indicação de muitos camaradas.


Acho que sou um sonhador incorrigível e quando ajudei a idealizar este nosso convívio, achei que poderíamos contar com a presença de todos, salvo os que estivessem a trabalhar ou os que estivessem ocupados por motivos de força maior; até porque logo, um camarada amigo me disse que a aderência iria ser fraca. Mas, mesmo assim não quiz acreditar e continuei a sonhar.Admito que me estou a expôr um pouco mais do que devia, mas quem me conhece, sabe que sou mesmo assim, quando acredito naquilo que defendo, não receio a exposição e transparência a que estamos obrigados.

bolo apem
A APEM, não mendiga a ninguém, palmadinhas nas costas, nem agradecimentos muito ou pouco sinceros, antes defende a Enfermagem militar (como sempre o fez) e cultiva a união entre todos os Enfermeiros, no sentido de juntos enfrentarmos o futuro da nossa nova carreira duma forma mais participativa tecnicamente  e “abraçando”  renovadas competências.

De uma forma muito sincera, quero confessar-vos a minha preocupação em relação ao futuro da Enfermagem Militar.
Onde está essa “chama”, que há-de permitir que nós os mais experientes passemos o testemunho aos mais novos  e fiquemos tranquilos ?
Onde está o interesse e a capacidade dos camaradas mais novos pela defesa da nossa profissão?


Quanto ao número de participantes no nosso jantar-convívio que realizámos no dia 27 de Novembro de 2015, no Hotel Real Palácio em Lisboa, ele é histórico tal como para nós esse dia, é já um dia que fica nos anais da nossa história comum, como histórico.

Finalmente, um bem-haja a quem nele participou, abrilhantando-o com a sua preciosa presença .

Foi muito gratificante e de salutar o convívio que juntos realizámos.   

José Bizarro
Presidente da APEM
Lisboa, 30 de Novembro de 2015

Convivio Enfermagem Militar

CONVÍVIO ENFERMAGEM MILITAR

 

Festa APEM

A Associação Portuguesa de Enfermagem Militar, tem o particular gosto, em convidar todos os ENFERMEIROS MILITARES E TÉCNICOS DE DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA, a estarem presentes na festa-convívio que irá acontecer no próximo dia 27 de Novembro de 2015, às 19h, no REAL PALÁCIO HOTEL em LISBOA.

O convívio está ainda aberto a TODOS OS ENFERMEIROS PORTUGUESES E ESTRANGEIROS, que queiram estar presentes neste evento, que servirá para celebrar o reconhecimento da nossa profissão.

O evento contará ainda com a presença de figuras institucionais que, reconhecidamente, tenham tido papel importante no processo de afirmação da Enfermagem Militar.

 

O EVENTO

19H - WELCOME DRINK
(Porto, Moscatel, Vinhos, Sumos, Água, Salgados)

19h30 - JANTAR CONVÍVIO
Buffet de Saladas variadas, marisco e peixe, queijos
Bacalhau com brôa
Bochechas e cachaço de porco assado, arroz de coêntros, grelos e batata assada
Buffet de Sobremesas e fruta
Café
Vinho branco e tinto, água e sumos

 22h00
BOLO E ESPUMANTE OFERECIDO PELA APEM A TODOS OS PARTICIPANTES

 

Valor do Jantar
Sócios APEM: 12€50
Restantes participantes: 22€50

 

As incrições podem ser feitas através dos seguintes contactos (ATÉ 20NOV2015):

Email.: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Telefone: 919747205

 

Pagamento por transferência bancária para:

NIB: 0033 0000 50120924903 05

IBAN: PT50 0033 0000 50120924903 05

SWIFT: BCOMPTPL

 

Endereço do Hotel:

Morada: Rua Tomás Ribeiro, 115, 1050-228, Lisboa - Portugal

Coordenadas GPS: Latitude - 38º43'55.77''N | Longitude: 9º09'02.76''W

Google Maps AQUI

 

PARTICIPA E DIVULGA ESTE GRANDE EVENTO

DE CONFRATERNIZAÇÃO E HISTÓRICO PARA A ENFERMAGEM MILITAR

Pág. 1 de 7

Go to top