ptafzh-TWnlenfrdeelitjaltruessv

APONTAMENTOS

Quando iniciei  a escrita destes apontamentos, tive a  tentação de começá-los de uma forma diferente, e simultaneamente, talvez um pouco utópica.
E, neste contexto meramente “filosófico”, não queria  deixar passar esta oportunidade, sem os partilhar convosco.
Apetecia-me dizer que: atravessamos tempos de mudança, a Enfermagem Militar é finalmente reconhecida, valorizada e no nosso desempenho diário e autónomo a coordenação, a avaliação, a formação, a chefia e o planeamento são uma realidade. É indiscutível que, estamos a vivenciar a grande evolução dos últimos anos da Enfermagem Militar; esta  atingiu  finalmente, um patamar de excelência, onde a investigação e os seus mentores que somos todos nós, Enfermeiros Militares, temos o “papel principal”. Na Instituição Militar, acabaram-se as discriminações e finalmente a nossa formação superior, traduziu-se nos postos militares a que já deveríamos ter ascendido há alguns anos. Os Enfermeiros Militares, onde tão orgulhosamente me incluo, são hoje, por direito próprio, todos, sem excepção, oficiais e a dinâmica da nossa profissão, totalmente renovada e reconhecida,  atingiu  um nível  impar.

Com certeza, já repararam no meu uso e abuso do termo “reconhecimento”; foi propositado. Por vezes, a nossa ansiedade, os nossos sonhos, conduzem-nos inevitavelmente a excessos.
Mas, caros camaradas, também certamente já repararam que, a realidade para nós Enfermeiros Militares, não é esta de que aqui vos falo nos parágrafos anteriores.

Por outro lado, perdoem-me, mas tenho de vos revelar uma inconfidência e também deixar-vos uma questão que há muito tempo me inquieta, para  juntos reflectirmos. A inconfidência, é que sempre acreditei e acredito, que  só juntos conseguiremos com a nossa força, a valorização e reconhecimento profissional que tanto desejamos.
A questão é: - O que é que cada um de nós já fez para mudarmos o rumo da nossa profissão?
Desculpem-me mais uma inconfidência, mas penso que, cada um de nós, pouco fez!

Os actuais corpos gerentes da APEM, tudo têm feito para que todos se mobilizem em torno deste objectivo. Têm sido desenvolvidas  várias  actividades e iniciativas e todos têm sido convidados a participar. Uma das mais recentes  iniciativas, foi  a publicação de um artigo de opinião, sobre a Enfermagem  Militar, na revista “Pontos de Vista”, que foi publicada com o jornal “O Público”, em 25 de Março de 2013.
Na APEM, queremos que todos façamos parte da “discussão”, em torno da nova Enfermagem Militar renovada e reconhecida que todos ambicionamos.

Nas próximas reuniões de trabalho da APEM, e nomeadamente já na próxima  Assembleia Geral que estamos a preparar para o mês de Abril, gostaríamos de contar com todos os Enfermeiros Militares.
Reafirmamos mais uma vez que a APEM somos todos nós, mas todos nós temos que nos tornar mais activos/“visíveis”, só assim poderemos dar mais visibilidade à nossa causa. É preciso sairmos de casa, é preciso dizer que existimos, é preciso dizer que temos orgulho em sermos Enfermeiros Militares.

Com a formação de um grupo de trabalho conjunto, entre a APEM e a Ordem dos Enfermeiros, anunciada na última Assembleia Geral desta em 16 de Março de 2013, temos de agarrar energicamente esta oportunidade soberana que nos é proporcionada. É preciso que todos dêem o seu contributo, que todos partilhemos as nossas experiências acumuladas, que todas as nossas vivências profissionais sejam uma mais-valia, contribuindo para a elaboração de um documento final, que responda às expectativas de todos os Enfermeiros Militares. Este documento final que se pretende seja o mais abrangente possível, terá obrigatoriamente de incluir as mais variadas áreas em que a Enfermagem Militar se desenvolve, nomeadamente hospitalar, operacional, ocupacional e noutras que julguemos necessárias. O referido grupo de trabalho, incluirá dois elementos da APEM, que serão a nossa ”face visível”, mas dele, todos faremos parte.

Como já foi anteriormente referido, durante o mês de Abril, na Assembleia Geral da APEM, todos estas temáticas e outras que julguem pertinentes serão por nós abordadas; para tal contamos convosco para uma AG da APEM que esperamos será a mais participativa de sempre. Nos próximos dias, contamos dar-vos novidades acerca da localização e horário em que se irá realizar a referida AG da APEM.

Para finalizar estes apontamentos, gostaria de vos deixar uma palavra de optimismo, (apesar da maioria das pessoas falar de crise), porque tenho a certeza que o trabalho que juntos vamos “semear”, trará boas colheitas.
Votos de uma boa Páscoa em família e com excelente saúde.

Do camarada, sempre ao dispor, um abraço,

José Augusto Ribeirinho Bizarro
Presidente da Direcção da Associação Portuguesa de Enfermagem Militar

Go to top