Boas Festas e um 2015 diferente!Natal 2014

Que seja um ano de viragem de página no reconhecimento das nossas Licenciaturas e competências adquiridas em Enfermagem.

Mais um ano passou e muita "água passou por baixo de algumas pontes", e também em boa verdade vos digo que, muitas dessas pontes foram construidas para que o real estado da Enfermagem Militar fosse finalmente clarificado.


Nem sempre foi fácil comunicar, mas valeu a pena percorrer o caminho, mesmo apesar da Enfermagem Militar continuar a não ser parte integrante nas tomadas de decisão mais importantes no que diz respeito à Saúde Militar.

Neste contexto, ainda recentemente, foi necessário falar e escrever sobre a restruturação da nova carreira de Enfermagem, e mais uma vez, aliás como o foi sempre, nenhum Enfermeiro foi chamado a colaborar.

Por mais quanto tempo é que os Enfermeiros vão continuar a ficar, propositadamente, arredados das decisões sobre o seu próprio futuro profissional?

Como é possível falar e decidir sobre Enfermagem, sem incluir Enfermeiros?

O ser humano tem necessidade de se formar numa determinada área, precisamente para se tornar perito nessa área, ora numa sociedade dita evoluida cada cidadão tem o seu lugar, em articulação com todos os outros.

Esperamos com forte sentimento de esperança na tutela da Defesa Nacional, que muito em breve será reparada a injustiça do não reconhecimento da Enfermagem Militar, que já dura há cerca de duas décadas e meia.

Natal 2014 1A APEM, acalenta a legitima aspiração de que, no ínicio de 2015, a Enfermagem Militar surgirá integrada num renovado quadro da Saúde Militar, com renovadas competências funcionais, compatíveis com a formação académica de nível superior que detemos, em pé de igualdade com qualquer outro oficial militar das três academias militares, com igual aprumo e orgulho em ser Militar.

Sabemos que, na quadra festiva que se aproxima, é comemorado o nascimento de Jesus Cristo e sabemos que, à gruta onde nasceu, afluiram numa noite de muito frio, guiados por uma estrela, pastores e três Reis Magos, com o firme propósito de ofertarem o Deus Menino.

É neste contexto de natal que, também nós esperamos a boa-nova, ainda que a alguns intervenientes nestas questões custe cumprir a verdade, ou o mesmo é dizer, cumprir com justiça as leis da república.


Finalmente, quero desejar a Todos os Enfermeiros Militares e suas respectivas familias, um Santo e Feliz Natal, com todos os doces natalícios e tão portugueses a que temos direito, e um grande 2015, que seja mesmo aquele ano que já todos esperamos há 26 anos.

Um Abraço do Camarada e Amigo sempre ao Vosso dispôr,

José Augusto Ribeirinho Bizarro

Go to top